Container NOR: o que é e quais cuidados devo ter antes de utilizar?

Container NOR: o que é e quais cuidados devo ter antes de utilizar?

Já solicitou uma cotação de frete internacional e recebeu uma oferta de container NOR como se fosse um container normal?

Se já recebeu, você vai se identificar com este texto e se não recebeu ainda, prepare-se, pois, você deve receber em breve, considerando o preço do frete internacional de importação atualmente.

Quer saber todos os prós e contras de utilizar esse tipo de container? Então continue a leitura!

O que é Container NOR?

Container NOR é a abreviação em inglês para “container refrigerado desligado”. NOR significa “non-operating reefer” e é bastante comum na importação para o Brasil.

Principalmente partindo da China, Tailândia, Coreia do Sul, Vietnã e outros portos do extremo oriente da Ásia. Em alguns locais como a Índia, Sri Lanka, Rússia, Ucrânia também não é raro encontrar essas unidades disponíveis, mas especificamente em algumas épocas do ano.

Por que importamos tanto Container NOR?

O Brasil é o maior exportador de carne bovina do mundo, de acordo com estudo encomendado pelo Embrapa em 2021. E isso faz com que tenhamos um volume astronômico de contêineres refrigerados sendo exportados pelo mundo.

Além da carne bovina e outros produtos de corte, o Brasil também é um grande exportador de frutas frescas e outros vegetais. Acontece que esses contêineres precisam retornar ao Brasil para que possam ser utilizados em outras exportações de perecíveis.

Contudo, ainda que o Brasil também importe muitos produtos refrigerados por via marítima, esse volume não é suficiente para tornar a logística reversa desse tipo de container suficiente para que eles retornem em funcionamento para o Brasil.

Tendo em vista que existe um custo para reposicionar um container NOR na costa brasileira, os armadores preferem oferecê-lo a um custo menor que um contêiner regular de carga. Tornando o custo-benefício aceitável pelo importador.

Geralmente o container NOR custa 70% do valor de um contêiner HC, 90% da capacidade dele em espaço e 80% da capacidade em peso. Apesar de cada armador ter sua própria política para esse tema. Vale ressaltar que existe um número razoável de contêineres refrigerados de 20’ na frota.

Contudo, a maioria deles está comprometido com cargas congeladas para os maiores frigoríficos brasileiros, então, é praticamente impossível encontrar unidades disponíveis para exportação

Na importação, os armadores não trabalham com container NOR de 20’. Para eles vale a pena embarcar essas unidades vazias para ajudar no balanceamento da embarcação.

Quais cuidados devo ter antes de importar com Container NOR?

Nem tudo são flores. Existem muitas vantagens em importar um container NOR, uma delas é o preço. Coletivamente, a vantagem se dá no quesito ambiental, uma vez que os armadores teriam que transportar esse container NOR para o Brasil vazio do mesmo jeito. Haja vista que muitos exportadores têm contrato de alocação de espaço e equipamento, isso geraria uma quantidade altíssima de emissão de CO2. 

Mas, além de enumerar as vantagens, as propostas de frete internacional deveriam também explicar quais são os contras dessa escolha. E como isso não ocorre, listamos as situações que podem causar mais transtornos, veja a seguir.

Menor espaço interno e mesmo espaço externo

O container NOR tem um espaço útil limitado se comparado a um contêiner “normal” de 40’. É muito bom para transportar cargas que poderiam ir em contêineres de 20’, mas dependendo da origem e INCOTERM isso pode causar problemas. Já que no transporte rodoviário um container NOR é considerado equivalente a uma unidade de 40’.

As taxas locais portuárias de origem e destino, assim como capatazias e impostos também o consideram como um de 40’, tanto quanto o custo de transporte rodoviário.

Alguns exportadores não aceitam pagar pela diferença na origem e, caso isso aconteça, o importador pode pedir que haja a troca de contêiner mesmo depois da entrega na planta do exportador. Isso pode gerar custos inesperados e bastante desgaste entre as partes.

Menor período de free time

Justamente por conta da necessidade de reposição dessas unidades no Brasil que o armador oferece container NOR a preço mais acessível que um normal. Isso faz com que o armador limite a quantidade de dias livres que o importador pode ficar com um contêiner enquanto realiza o despacho aduaneiro.

Um canal vermelho em uma importação realizada com container NOR pode acabar com todo o lucro do processo.

Maior penalidade diária de demurrage e detention

Na mesma linha de raciocínio, o container NOR é originariamente um container refrigerado, então ele tem um mecanismo de refrigeração e diversas particularidades que o tornam capaz de resfriar e manter uma carga refrigerada.

Esse conjunto faz com que uma unidade nova seja mais cara, caso haja necessidade de reposição, razão pela qual o custo dele parado é alto. Se comparado com uma unidade regular GP (general purpose) pode chegar a ser quatro vezes mais caro por dia.

Qualquer reparo que seja necessário também poderá ser muito mais caro e essa informação nunca vem descrita em uma cotação.

Além disso, o container NOR terá que ser lavado antes de ser devolvido no terminal – há armadores e terminais que lavam independentemente de já ter sido lavado antes pelo importador ou transportadora, e a contratação desse serviço não é opcional.

Falta de locais apropriados para amarração

Os containers NOR, por serem reefers desligadas, têm sulcos em seu piso para escoamento de água decorrente da troca de temperatura com o ambiente ou do aquecimento da carga (condensação).

Esses sulcos geralmente são de metal inoxidável e não permitem amarração, tornando esse equipamento inutilizável para diversas cargas, como transporte de máquinas, veículos ou outros produtos pesados.

Limitação de tipos de carga

Por ser um equipamento específico para alimentos, medicamentos e outros perecíveis, o contêiner refrigerado deve ser mantido apto para receber o produto que carregará sem que apresente odores, marcas ou sujeira.

Considerando isso, diversos produtos não são elegíveis para utilizá-lo na modalidade NOR, ou seja, qualquer carga que deixe qualquer tipo de resíduo será rejeitada pelo armador.

Cargas perigosas são praticamente impossíveis de serem carregadas em um container NOR e, dependendo do tipo, inclusive, é bastante complicado conseguir que o armador aceite a carga.

Falta de regularidade

Além de todo descrito acima, o importador deve evitar planejar seus custos apenas com base no frete de container NOR, pois em diversas origens a disponibilidade dele não é regular nem garantida.

Já que pode ser que o armador encontre cargas de exportação daquele país de origem para utilizá-lo ligado com produtos perecíveis, tornando o container NOR escasso no mercado.

Conclusão

É possível trabalhar com container NOR, mas todos os riscos devem ser levados em consideração no momento do planejamento — já que as propostas de frete internacional não costumam ser claras com relação a todas essas variáveis.

E você, conhecia todos esses alertas? Deixe seu comentário!

Deixe um comentário