Quais são os principais desafios do Comércio Exterior brasileiro?

Quais são os principais desafios do Comércio Exterior brasileiro?

O mundo é global e isso já deixou de ser novidade, mas, embora a velocidade com a qual as negociações internacionais são realizadas venha aumentando rapidamente, os importadores e exportadores brasileiros ainda enfrentam diversos desafios no Comércio Exterior brasileiro.

Listamos abaixo os principais, pois é importante conhecer as dificuldades que podem aparecer e se prevenir para que prejuízos não aconteçam ou, caso aconteçam, sejam minimizados.

Desafios no Comércio Exterior: Desafios na Exportação

O Brasil é um país com grande potencial exportador. Notadamente no setor agrícola, mas muitos outros setores poderiam ser mais atuantes no mercado internacional se certos entraves não comprometessem tanto o processo.

Alguns exemplos deles são:

Burocracia aduaneira e documentação

Somos, infelizmente, um país burocrático. Isso é fato!

Faz pouco tempo que os órgãos do governo começaram a utilizar tecnologia com foco em acelerar os procedimentos exigidos e isso é ainda mais visível no âmbito do Comércio Exterior.

Embora os sistemas de controle tenham sido constantemente atualizados e haja motivos para comemorar, ainda precisamos de mais.

Não é raro um exportador ter que apresentar mais de um documento contendo as mesmíssimas informações para diferentes órgãos: uma redundância desnecessária e que poderia ser evitada.

Tributação

Se lidar com toda a burocracia e excesso de documentação já não é uma tarefa fácil, estar atento ao enorme número de impostos que podem incidir em uma Exportação, antes mesmo de começar a exportar (sejam eles municipais, estaduais ou federais) é ainda mais complicado.

Diferentemente de outros países, nossa legislação e carga tributária altamente complexa atrapalha nossa competitividade. Essa complexibilidade abre uma margem enorme de possibilidade de erros (na emissão dos documentos, como nota fiscal, por exemplo), o que acaba ocasionando uma diferença na cobrança dos impostos e pode resultar em multas e encargos desnecessários não previstos no processo.

container-suspenso-no-ar

Estrutura precária do Comércio Exterior no Brasil

Aqui esbarramos em algo muito citado ultimamente. O custo Brasil. Nossas estradas são caóticas e há uma dependência gigantesca do transporte rodoviário, o que sobretaxa os produtos destinados ao exterior.

Há ainda um gargalo logístico nos terminais e armazéns brasileiros, com uma capacidade aquém do ideal para que um processo de Exportação ocorresse de forma ágil e menos onerosa.

Desta forma, os produtos brasileiros concorrem de forma desigual com os de outros países.

Desafios no Comércio Exterior: Desafios na Importação

Se o exportador, que em teoria deveria ter o apoio governamental (afinal está gerando riqueza para o país), já enfrenta problemas como os citados acima, nas operações de Importação as restrições são ainda maiores.

Infelizmente, em muitos casos a Importação ainda é vista como vilã.

Muitos acreditam que facilitar a Importação é prejudicar o produtor nacional. Naturalmente que há a necessidade de proteger a soberania do país e não gerar dependência externa.

Mas a importação colabora muito com o parque fabril nacional, uma vez que possibilita que novas tecnologias estejam ao alcance de mais empresas brasileiras.

Mas esta falta de visão acaba onerando os importadores.

Burocracia na Importação

Quem não tem o hábito de trabalhar com Importação pode se assustar (e muito!) com toda a burocracia exigida. Ela é intensificada pelo fato das instruções necessárias nem sempre serem encontradas facilmente: não é raro o importador ter que “correr atrás” das informações de como proceder. Afinal ele quer que seu processo siga o mais próximo da normalidade possível.

Vontade sem conhecimento burocrático dificilmente é o suficiente.

Falta de padronização de processos aduaneiros

O ditado “cada cabeça é uma sentença” é quase um lema na Importação, pois não é porque você fez corretamente e não teve problemas em uma operação que na Importação seguinte correrá tudo igual.

O que está na legislação pode ser ignorado e podem surgir exigências extrafiscais, seja em documentos ou na instrução do Despacho Aduaneiro.

Além disso, seja para o bem ou o mal, é raro passar mais de um mês sem que ocorra alguma mudança relevante na área, seja ela por parte dos órgãos públicos ou dos intervenientes.

Morosidade alfandegária

Tudo em um processo de Importação gera custo. E um dos mais pesados é a armazenagem da carga enquanto aguarda a liberação por parte dos órgãos competentes.

Mas, como pode haver vários órgãos anuentes envolvidos em um mesmo processo, direta ou indiretamente, agilidade não é a palavra de ordem.

Fora o fato de muitas informações serem exigidas de forma redundante, o que torna o processo moroso e mais custoso.

mao-segurando-uma-muda-de-planta-com-um-fundo-de-grafico

Como um software pode ajudar a superar os desafios da Exportação?

Foi possível notar que, mesmo em um mundo ideal, um processo de Exportação enfrentará entraves, dificuldades e lentidão.

Mas isto pode piorar ainda mais quando o exportador não tem um controle adequado de todo o processo, para que, pelo menos no que diz respeito às suas atividades, o processo corra de forma rápida e organizada.

Utilizar um software de gestão para procedimentos torna tudo mais fácil e com menor probabilidade de erros, pois o controle e sequência dos procedimentos exigidos é realizado de maneira mais ágil. Desta forma o exportador garante que sua parte no processo está sendo realizada da maneira adequada, deixando a lentidão para questões fora de seu controle.

Burocracia

As mudanças em nossa burocracia podem ocorrer de forma tão repentina que não é impossível embarcar uma mercadoria com base em uma determinada legislação vigente e, na chegada desta mesma carga, tudo ter mudado.

A legislação já não é mais a mesma e a empresa pode se deparar com situações em que nem mesmo os órgãos responsáveis sabem como proceder.

Por este motivo ter um software de gestão auxilia a empresa e ter um controle maior das exigências e alterações nas legislações e dos procedimentos envolvidos no Comércio Exterior.

Tributação

Assim como a legislação, a tributação também pode sofrer alterações de um dia para outro, especialmente o Imposto de Importação (II) e o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

Desta forma, ter um software de gestão pode evitar surpresas para a empresa, que pelo menos será informada o mais rapidamente possível das alterações que possam vir a acontecer.

Morosidade dos processos alfandegários

Ao se valer de um software de gestão eficiente, é possível deixar todos os documentos e procedimentos necessários organizados e prontos para serem apresentados à fiscalização, com uma probabilidade bem menor de erro, resultando em uma liberação mais rápida da sua mercadoria.

Quais são os benefícios do Comércio Exterior para as empresas brasileiras?

O Comércio Exterior, apesar de todos os obstáculos que enfrenta, pode ser uma excelente opção para as empresas brasileiras desenvolverem mais oportunidades em um mundo cada vez mais conectado e tecnológico.

Seja para exportadores aumentarem suas vendas e lucros e para importadores descobrirem melhores produtos, ou para desenvolver investimentos de ativo fixo ou lucrar no varejo nacional.

Considerações Finais

Em resumo, todos os processos envolvendo o Comércio Exterior, seja na Exportação ou na Importação, têm como características negativas a lentidão, a burocracia e os altos tributos envolvidos, exigindo das empresas um maior controle e cuidado nos procedimentos realizados.

Porém, esta tarefa pode se tornar um pouco mais leve se a empresa dispuser de um eficiente software de controle das operações.