[ 20 de julho de 2020 por Equipe CDT 0 Comentários ]

Marcelo Viana: Frases que nenhum despachante quer ouvir – Ep. 1

Despachante: “A planta vai parar e TODOS os custos extras serão direcionados para a sua empresa”.

É um tema delicado e polemico, que invariavelmente acontece nas corporações, principalmente na relação entre prestador de serviço e cliente.

Que atire a primeira pedra o profissional de comex (principalmente o despachante aduaneiro) que nunca tenha ouvido esta frase, e certamente ao ouvi-la, ou ainda abrir uma mensagem (que possivelmente em sua cabeça tenha um som de altíssima potência, como se um jato supersônico passasse bem próximo aos seus ouvidos) fez com que ele não tivesse um boa noite de sono, ou simplesmente tenha passado a “noite em claro” torcendo para amanhecer, e assim tentar resolver o temido problema.

Um absurdo para o Despachante?

Por mais absurda que a frase possa parecer, e bota absurdo nisso, alguns “profissionais” tem o “hábito” de transferência de responsabilidade em suas ações, digamos, malsucedidas, perdendo talvez a oportunidade de aprendizado com um evento não exitoso.

O comportamento prepotente de alguns líderes em suas organizações, leva a ignorar riscos e a busca intensa por um culpado externo, e a curto prazo isso pode se transformar em uma tremenda armadilha.

A parada de uma planta, produção ou algo semelhante muitas vezes pode ocorrer por pura falta de planejamento, ainda que problemas possam ocorrer.

Alguém imaginava o cenário mundial atual? Talvez nem o roteirista do filme “Contágio” (Contagion, EUA, 2011 diretor Steven Andrew Soderbergh) pudesse imaginar que o roteiro dele estivesse tão próximo da realidade.

O que a minha história ensina sobre o despachante:

Ao trabalhar com insumos importados, é importante saber que nem sempre prazos podem ser cumpridos à risca: atraso na produção do insumo no país produtor, greves, acidentes, atrasos nos modais, e agora uma pandemia afetando voos, terminais, valores… ou seja, muitas intempestividades podem ocorrer, gerando atrasos e em muitas vezes custos extras.

A solução é a participação do profissional no planejamento destas operações, para que sejam observadas ser observadas as características e possíveis soluções (ações preventivas e de contenção) para eventuais contratempos, ainda que ninguém possa prever algo como uma pandemia, para que tudo possa ocorrer dentro de prazos aceitáveis sem prejuízos tanto para o importador quanto para seus clientes.

A capacidade de organização e planejamento são peças fundamentais para uma bem-sucedida operação, evitando assim a “parada” e consequentemente custos extras desnecessários.

Ainda que na prática talvez seja complexo, é importante uma análise do cenário, e certamente o despachante aduaneiro é o parceiro ideal neste momento, que ao vivenciar em sua rotina diversos tipos de situações possa ajudar a equipe de importação de determinada empresa a encontrar o melhor caminho.


Sobre o Marcelo Viana:

Carioca, casado com a Cristiane, pai do Lucas, torcedor fanático do Flamengo, baterista da banda de Rock “Indecisus” é um entusiasta do comex, especialista em exportações, já perdeu as contas de quantos embarques coordenou desde o “cara preta” até hoje com a DUE.

Formado em Administração de empresas com habilitação em Comércio exterior, pós-graduado em gestão estratégica, mestrando em engenharia de transportes, além de diversos cursos e seminários na área tanto no Brasil quanto no exterior, co-autor do livro “A logística no Comércio Exterior III”

Fundador da MVPB Logística, que desde 2003 atende diversas empresas nas áreas de exportação e importação em todo o Sudeste, sempre procurando o máximo de qualidade no atendimento otimizando os resultados através de boas práticas.

Professor e palestrante de diversas instituições de ensino superior no Brasil desde 2003, acredita que a transformação do ser humano é através da educação.

Redes: LINKEDIN : www.linkedin.com/in/mvioli

INSTAGRAM: @marcelovianamvpb

BLOG: www.marceloviana.com.br

SobreSari Santos